App Mobile com Flex 4.6

Durante os últimos dias, me dediquei ao desenvolvimento de uma pequena app mobile para Android. Pela minha experiência em Flex; resolvi utilizar o framework Flex Mobile, até mesmo para conhecê-lo mais detalhadamente.

Flex Mobile

Durante minhas pesquisas e estudos sobre a situação de cada SDK, senti na versão 4.6, a confiança para começar o desenvolvimento. Isso por que, o SDK apresentou grandes melhorias na sua estrutura e ganho de novos componentes, principalmente para o desenvolvimento de app mobile (Para mais detalhes desta versão, clique aqui).

Aplicação

O contexto da aplicação é bem simples. A partir, de um sistema gerencial rodando em um estabelecimento comercial, o foco principal da aplicação mobile seria de coletar informações específicas junto aos clientes deste estabelecimento e, enviá-las a este sistema para que ele possa realizar os processamentos nas áreas de produção, estoque e financeiro. Para que, através deste a entrega do produto final aos clientes do estabelecimento seja realizado de forma automatizar e com mais rapidez.

A comunicação entre o sistema e a aplicação foi realizada via chamadas webservice. Inicialmente, esta era minha maior preocupação para o desenvolvimento da aplicação; problema solucionado graças a facilidade na utilização de componentes para este tipo de comunicação oferecidos pelo Flex/AS3 (pretendo abordar este tema em outro post).

Como tive liberdade para montar a arquitetura da aplicação, escolhi fazê-la com o SwizFramework e banco de dados gerenciado pelo FlexOrm baseado, principalmente, no artigo criado pelo Horochovec. Enquanto, seu layout era   desenvolvido e validado junto ao cliente para que este pudesse atender a suas reais necessidades.

Bom, vamos ao que interessa, minhas primeiras impressões sobre o desenvolvimento mobile com Flex 4.6. Para simplificar e direcionar o interesse dos leitores, vou separa em duas categorias: Pontos Positivos e Pontos Negativos. Por fim, darei minha Opnião Final sobre o desenvolvimento. 

Pages: 1 2 3

Comments

  • Vc deixou de fora o tópico mais importante em relação ao mercado de aplicativos nativos mobiles = PORTABILIDADE.
    – Quais são os dispositivos habilitados?
    – Quantos são hoje no meraco?
    – Como habilitar?

    Fernando Franzini 25 de January de 2012
  • Opa Fernando, bem lembrado, meu intuito com o post era relatar como foi o desenvolvimento de uma app mobile utilizando a tecnologia, principalmente, suas vantagens e problemas; no entanto, por focar muito nisso acabei esquecendo de introduzi-la melhor.

    Sobre as perguntas, para rodar a app o dispositivo precisa atender os seguintes requisitos:

    Google Android™ 2.2 operating system
    ARMv7-A processor with vector FPU
    OpenGL ES 2
    H.264 and AAC hardware decoders
    256MB of RAM
    BlackBerry™ Tablet OS
    iOS 3 ou mais atual

    Além de ter o Adobe Air rodando, o ideal seria ter a versão 3 para cima, pois são as mais atuais.

    Para facilitar, a Adobe disponibilizou uma lista com alguns dispositivos certificados neste site.

    Se esqueci de alguma coisa, me avise!
    Obrigado por acessar o site.

    Flávio

    Flávio Horita 25 de January de 2012

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *